Você sabe como funciona o programa Saúde na Hora?

13

Com base nos dados do Ministério da Saúde, o programa Saúde na Hora atraiu 151 das 1 mil unidades de saúde da família mapeadas pelo governo para participarem da iniciativa. A adesão é voluntária. A finalidade é garantir que a sociedade tenha acesso aos serviços de saúde em todos os horários possíveis.

Até o momento, poucas cidades foram aptas a fazer parte do programa da ampliação do atendimento, segundo o governo. Os estados com o maior número de inscrições são Paraná, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina.

O Ministério da Saúde oficializou o programa há uma semana e o procedimento de adesão foi aberto no dia 17 de maio de 2019.

Conforme o Erno Harzheim, secretário de Atenção Primária à Saúde, diz que:

“Foram quatro dias de adesão aberta, e são 15% da meta deste ano. Daqui a pouco vou ter que ir ao gabinete do ministro pedir mais recursos para atender a demanda”

Como funciona o programa?

O programa possui orçamento de R$ 150 milhões, na qual serão passados para os municípios aplicarem na ampliação do serviço. Os repasses podem variar pela questão da quantidade de equipes no local

Erno Harzheim, aborda que:

“O financiamento é suficiente para responder por aproximadamente 50% do custo, claro que tem que ter a contrapartida municipal. Mas estamos dobrando o valor que anteriormente repassávamos para estas cidades”.

Solicitações para fazer parte do programa

Diversas unidades fizeram a solicitação, mas poucas tiveram os pedidos finalizados e agora passam por análise técnica. As demais encontram-se em processo de preenchimento de informações pelos gestores municipais de saúde.

Segundo o Ministério, além da meta de 2019, a finalidade é atrair até 1,3 mil unidades básicas de saúde até o ano que vem e ir aumentando cada vez mais com o passar dos anos.

Governo vai dar prioridade para as grandes cidades na ampliação do horário de atendimento de unidades de saúde

Os serviços nas unidades básicas de saúde serão das 7h às 11h e das 13h às 17h, na grande maioria das cidades. A ideia é ter unidades abertas no horário do almoço, de noite e até mesmo aos finais de semana.

Modelos de unidades de saúde

O governo sugere os seguintes modelos:

  • Atendimento de 75 horas semanais, com saúde bucal
  • Atendimento de 60 horas semanais, sem saúde bucal
  • Atendimento de 60 horas semanais, com saúde bucal

Requisitos para fazer parte do programa:

  • Abrir no horário de almoço
  • Abrir à noite e, se possível, aos finais de semana
  • Manter atualizado o prontuário eletrônico
  • Ter infraestrutura adequada para comportar as equipes
  • A maior parte dos atendimentos deverão ser sem agendamento
  • Oferecer consultas médicas e de enfermagem nos três turnos
  • Oferecer consultas de pré-natal
  • Disponibilizar vacinação
  • Fazer coleta para exames laboratoriais
  • Realizar pequenos procedimentos cirúrgicos como, por exemplo suturas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digita seu nome aqui