Brasil está preparado para agir em situações de saúde durante o grande evento da Copa América

42
Doctor with a stethoscope in the hands and hospital background.

Todos os jogos serão monitorados por profissionais do Sistema Único de Saúde – SUS. Serão avaliadas eventuais situações de risco, demandas de saúde e respostas a emergências.

Com a Copa América, a rede pública preparada possui a expectativa de atrair milhares de torcedores nacionais e estrangeiros. Além das delegações, turistas de diversos países são esperados para o torneio, que acontecerá entre 14 de junho e 7 de julho deste ano.

São cerca de 10 anos na preparação das ações de saúde para eventos com tamanha proporção, o Ministério da Saúde vem agindo desde o início deste ano na coordenação e na articulação com os estados e as cidades-sede do evento. Sendo assim, os brasileiros e os visitantes estão garantidos na saúde, pois o SUS está pronto para dar assistência adequada e oportuna, se houver necessidade.

Todos os jogos da Copa América serão monitorados pelo Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde – CIOCS, que vai analisar eventuais casos de risco, responder demandas de saúde e coordenar respostas diante das emergências. Esse monitoramento será feito por técnicos especializados em uma atuação articulada com profissionais do SUS de Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

O Centro Integrado passa a funcionar, em Brasília a partir desta segunda-feira (10), permanecendo até 10 de julho. Durante mais de 30 dias, os profissionais poderão, quando necessário, ativar imediatamente equipes de pronta-resposta em situação de qualquer emergência de saúde pública. Eles vão monitorar ainda os atendimentos realizados para possível identificação de casos de doenças infecciosas, a fim de garantir o tratamento adequado e medidas de controle.

Durante os jogos também irá contar com profissionais das áreas de Vigilância e Atenção à Saúde dos municípios e estados estarão nos estádios, durantes todos os jogos para identificação de potenciais ameaças à saúde pública.

É importante ressaltar que os serviços públicos de saúde são gratuitos e estão prontos para atender a população do país, além dos estrangeiros nos casos de urgência e emergência. Já os estrangeiros residentes no país possuem acesso integral ao SUS.

Com base nos atendimentos de saúde que já foram feitos em outros eventos esportivos de grande porte no Brasil, a expectativa é que os serviços do SUS não tenham alteração extremas em sua rotina durante a Copa América.

Prevenções de doenças

A concentração nas cidades-sede de milhares de turistas nacionais e estrangeiros cria a possibilidade do aparecimento de doenças imunopreveníneis, sito é, passíveis de imunização, como por exemplo a gripe.

Diante dessa possibilidade, o Ministério da Saúde reforçou sobre a importância da vacinação da população. É recomendado que todas as pessoas estejam com as vacinas atualizada de conforme o Calendário Nacional de Vacinação que estão disponíveis de forma gratuita todas as vacinas previstas no Programa Nacional de Imunização. Para se vacinar, basta procurar os postos de unidade básica de saúde.

De acordo com o Ministério é importante a necessidade urgente de vacinação especialmente para o público que terá contato com estrangeiros. Para esse público, quatro vacinas são essenciais: hepatite B, tríplice viral, febre amarela e dupla adultos. Outro fator importante é que aconteceu uma comunicação com todas as embaixadas dos países que virão ao Brasil orientando sobre a vacinação dos turistas, assim como o acesso ao site de Saúde do Viajante.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digita seu nome aqui