Ministério da Saúde: alimentação infantil

124

O objetivo é disponibilizar informações sobre a alimentação e nutrição de crianças de até 5 anos para apoiar a elaboração de políticas públicas e estratégicas de promoção da saúde

O Ministério da Saúde começou em 15 mil domicílios brasileiros e 123 municípios que abrigam crianças menores de 5 anos de idade.  Essas casas foram selecionadas para participarem do Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil – ENANI, que tem como finalidade mapear a situação de saúde e nutrição de crianças em todo o país, com informações particularizadas sobre hábitos alimentares, crescimento e desenvolvimento. Essas informações ajudarão na construção de políticas públicas e estratégicas de promoção da saúde.

Perante a importância desta ação, o Ministério da Saúde alerta todos os cidadãos para a circulação de informações falsas, que procuram desacreditar a iniciativa.

Sendo assim, gestores do ramo da saúde devem dar suporte às equipes e promoverem ações de esclarecimentos e conscientização sobre a seriedade do levantamento para direcionar as políticas públicas voltadas à alimentação e nutrição de crianças.

Conceito de obesidade infantil

A Organização Mundial da Saúde – OMS caracteriza a obesidade infantil como, uma epidemia mundial causada principalmente pelos maus hábitos alimentares e por falta de atividade física.

 A obesidade é uma doença crônica que possui como principal caraterística excesso de peso e geralmente é causada pela associação de fatores genéticos, ambientais e comportamentais.

A pesquisa ENANI sobre a alimentação

A pesquisa sobre a alimentação é coordenada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ e foi encomendada pelo Ministério da Saúde, em conjunto com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq. Sessenta pesquisadores são parceiros deste levantamento.

Ao irem até os domicílios, os agentes realizam um questionário, conferem medidas de peso e altura das crianças e das mães biológicas e, ainda, recolhem uma amostra de sangue das crianças com mais de seis meses de vida para avaliação de 14 micronutrientes (ferro, vitamina A, D, minerais zinco e selênio etc.).

Além disso, são levantadas informações sobre amamentação, doação de leite humano, consumo de suplementos de vitaminas e minerais, habilidades culinárias, ambiente alimentar e condições sociais da família.

O ENANI é um projeto em três grandes blocos temáticos:

  • consumo alimentar
  • antropometria
  • indicadores bioquímicos

As informações vão permitir avaliar o crescimento e desenvolvimento e deficiências de nutrientes nas crianças até cinco anos.

Como evitar a obesidade infantil

São as recomendações alimentares da American Heart Association para crianças maiores de 2 anos e seus familiares:

  • “Ingestão calórica proporcional à atividade física para manter o crescimento normal.
  • 60 minutos de atividade física diária moderada a vigorosa.
  • Comer vegetais e frutas diariamente, limitando a ingestão de sucos.
  • Usar óleos vegetais e margarinas com pouca gordura saturada e gordura trans no lugar de manteigas ou outras gorduras de origem animal.
  • Comer mais pão integral e cereais em substituição a grãos refinados.
  • Reduzir a ingestão de doces e bebidas com açúcar.
  • Usar leite desnatado ou semidesnatado e seus derivados diariamente.
  • Comer mais peixe, especialmente grelhado e cozido.
  • Reduzir a ingestão de sal, sobretudo sal de alimentos industrializados”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digita seu nome aqui