Infecção generalizada

70

O que é infecção generalizada

Infecção generalizada ou falência múltiplas dos órgãos é uma síndrome clínica que decorre de complicações de infecções graves sendo qualificada por uma resposta infamatória sistêmica e lesão tecidual difusa.

A Sepse está relacionada a uma desregulação da resposta inflamatória normal, criando uma cadeia de situações que levam à lesão tecidual.

Possíveis complicações

Em situações que o paciente não responda ao tratamento, ele pode evoluir para um choque séptico, ou seja, a falência circulatória aguda de causa infecciosa.

A morte associada à infecção generalizada acontece acerca de disfunção orgânica aguda ou falência de múltiplos órgãos devido a infecções secundárias ou complicações decorrentes da doença de base.

Principais causas

Normalmente a infecção generalizada ou falência múltiplas dos órgãos é causada por meio de uma infecção bacteriana, mas também pode ser causada por outros microrganismos como vírus e fungos durante o período da recuperação da doença base.

Esta doença é considerada de nível grave quando associada à disfunção orgânica, hipoperfusão que é a baixa irrigação sanguínea em determinada região do corpo ou hipotensão que é a pressão arterial sistólica inferior a pressão considerada normal ou uma queda drástica ou mais.

No Brasil, ocorre muitos casos de infecções generalizadas. No ano de 2005, segundo dados do DATASUS, ocorreram 54.365 internações para tratamento da doença no Sistema Único de Saúde – SUS, representando aproximadamente 0,5% do total de internações no SUS, sendo que 38,02% destes pacientes vieram a óbito.

Sintomas

Os sintomas variam de acordo com a gravidade da doença base do paciente. Sendo assim em alguns casos podem demorar a manifestação dos sintomas com em outros podem surgir em questão de horas.

De maneira geral os principais sintomas apresentados são:

  • febre alta
  • fraqueza
  • enjoos e vômitos
  • diarreia
  • tremores e arrepios
  • taquicardia
  • frequência cardíaca alta
  • convulsões
  • alterações da circulação periférica
  • manifestações cutâneas
  • diminuição da quantidade de urina e baixo nível de açúcar no sangue

Sendo assim, quanto mais cedo for iniciado o tratamento, maior a chance de recuperação evitando a falência múltiplas de órgãos, como e até a morte.

Possíveis tratamentos

Via de regra, não há tratamento específico para a infecção generalizada. Seu controle envolve o tratamento da infecção subjacente com antimicrobianos e drenagem cirúrgica, além de medidas de suporte, de acordo com as manifestações apresentadas pela doença base .

A escolha apropriada do agente antimicrobiano é de fundamental importância porque o uso não criterioso está relacionado a um aumento de mortalidade de 10 a 15%.

Primeiramente, se usa um antibiótico de amplo espectro até a determinação do agente causador da infecção e do tecido atingido, o que facilita a administração de um antibiótico mais específico.

Em seguida, o tratamento de suporte vai depender da situação e dos sintomas em que o paciente se encontra, e pode incluir reposição volêmica, uso de esteroides, vasopressores, suporte renal e respiratório, na medida que a infecção sobrecarga os pulmões, frequentemente evoluindo para taquipneia (o aumento do número de incursões respiratórias por unidade de tempo de maneira anormal) e hipóxia (ausência de oxigênio suficiente no tecido para manter o funcionamento do corpo). Cerca da maioria dos pacientes precisam de algum suporte ventilatório, como intubação e ventilação mecânica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digita seu nome aqui