Brasil perderá o certificado de erradicação do sarampo após o aumento do número de registros da doença do sarampo

61

Em comunicado oficial realizado pelo Ministério da Saúde e enviado à Organização Pan-Americana de Saúde – OPAS, o Ministério da Saúde confirmou um caso preocupante de sarampo ocorrido no estado do Pará durante este ano.

Contudo, o Brasil perderá a certificação da erradicação da doença e iniciará o plano para retomar o seu título buscando ações para reverter essa situação.

Aumento dos casos do sarampo

No mês de janeiro de 2019 segundo o site da Globo, o Brasil tinha três estados com surto do sarampo. Entre o mês de fevereiro do ano passado e fevereiro deste ano, foram registrados 10.374 casos. O auge foi atingido no mês de julho de 2018, com 3.950 casos.

Até o mês de março de 2019, foi confirmado de maneira laboratorial 48 casos de sarampo no Brasil. Com isso, vinte estão relacionados a casos importados e vinte e oito a casos endêmicos, sendo vinte e três no estado do Pará e cinco no estado do Amazonas.

Perda do certificado de erradicação do sarampo

O critério posto para a remoção do certificado de erradicação da doença é ocorrência de casos confirmados do mesmo vírus durante os últimos  doze meses.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde – OMS que é uma agência especializada em saúde, a primeira pessoa infectada dentro do território brasileiro aconteceu no mês de fevereiro de 2018.

O certificado foi concedido ao Brasil pela Organização Pan Americana de Saúde (OPAS/OMS), no ano de  2016.

O Brasil contém um modelo considerado excelente quando o tema é o calendário de vacinação, mas a oferta de vacinas realizadas pelo Sistema Único de Saúde – SUS não tem sido regular para garantir a taxa desejável de cobertura vacinal dos cidadãos.

Devido a isso, no ano de 2017 o país teve o menor índice de vacinação em crianças menores de um ano em 16 anos. Todas as vacinas recomendadas para adultos estão abaixo da meta de cobertura ideal.

Ações contra o surto da doença

O Ministério da Saúde prepara uma campanha publicitária para incentivar a vacinação contra o sarampo nos estados do Amazonas, Roraima e Pará. Esses três que registram, desde o ano passado, transmissão ativa da doença.

Assim, a campanha será conduzida no mês abril e chamará para a vacinação contra o sarampo crianças de seis meses a menores de cinco anos, público com baixa cobertura vacinal nos três estados e mais vulnerável para a doença.

Esta ação será feita de maneira seletiva, de acordo com a avaliação e atualização da situação vacinal dessas crianças para alcançar a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde que estipulou uma porcentagem de 95% de cobertura vacinal contra a doença do sarampo. A vacina contra o sarampo está disponível de forma gratuita nos postos de saúde de todo o Brasil.

Informações sobre os sintomas da doença

O sarampo é uma doença infectocontagiosa provocada por um vírus chamado Morbilivirus. Ele é transmitido por meio de secreções das vias respiratórias como gotículas eliminadas pelo espirro ou pela tosse. A prevenção mais eficaz é realizado pela vacinação.

O período de incubação, isto é, o momento entre o contágio e o surgimento dos sintomas, é de cerca de doze dias e a transmissão pode acontecer antes do surgimentos dos sintomas e estender-se até o quarto dia depois que apareceram as placas avermelhadas na pele.

O sarampo é uma doença potencialmente grave e seus sintomas principais são:

  • Manchas avermelhadas na pele que iniciam no rosto e florescem em direção aos pés.
  • Mal-estar.
  • Coriza
  • Falta de apetite
  • Manchas brancas na parte interna das bochechas.
  • Otite
  • Pneumonia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digita seu nome aqui