Hipocondria – Você sabe do que se trata?

63

Conceito

A hipocondria, ou nosomifalia, é uma doença mental, que pode atingir tanto homens quanto mulheres em todas as faixas etárias. Quem possui tal doença tem, em seu íntimo, um medo excessivo e não realista de ter algum sintoma ou condição de saúde que pode causar certo risco a vida e ainda não foi diagnosticado, é comum que, a partir desse medo, a pessoa passe a tomar muitos remédios.

Em outras palavras, o portador de tal doença acredita, mesmo que sem fundamento, de que tem de uma doença grave.

Assim, é comum que ao longo da enfermidade, haja na pessoa afetada um medo irracional da morte conjuntamente com a obsessão por sintomas ou defeitos físicos irrelevantes, preocupação e auto-observação constante do corpo e até às vezes, à descrença nos diagnósticos dados pelos médicos. Quem toma muito remédio também pode ser hipocondríaca.

Sintomas

  • Medo intenso ou ansiedade prolongados de ter uma doença grave;
  • Preocupar-se que os menores sintomas e sensações físicas podem significar uma doença grave;
  • Procurar médicos repetidamente ou fazer exames complexos com frequência, como ressonâncias magnéticas e ecocardiogramas;
  • Trocar de médico constantemente, sempre buscando uma segunda opinião que indique uma condição grave;
  • Falar diversas vezes sobre seus sintomas ou das doenças de que suspeita ter;
  • Checar frequentemente o corpo em busca de problemas;
  • Fazer a ingestão e diversos remédios sem prescrição;
  • Checar frequentemente os sinais vitais, como pulsação ou pressão arterial; e
  • Pensar ter uma doença só de ler ou ouvir sobre ela.

Diagnósticos

Seu diagnostico é feito por meio da realização de exames físicos e psicológicos, onde o médico buscará analisar e pesquisar no paciente os sintomas por ele relatados.

Os critérios de diagnóstico da hipocondria, de acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-V), são:

  • Preocupação por cerca de seis meses ou mais em ter uma doença série, baseada em sintomas corporais;
  • Ansiedade derivada dessa preocupação; e
  • Dificuldades na vida social, trabalho e na rotina diária, por conta dessa preocupação ou sintomas.

Tratamento

O tratamento é feito em diversas áreas de atuação médica. A primeira é a psicoterapia, a qual permite ao paciente reconhecer as causas de seu comportamento ansioso o ensinando a supera-lo.

Outro tipo de tratamento é o uso de medicamentos que também podem ajudar muito os portadores de hipocondríacos. Nesse caso, os tipos de remédio mais indicados são os antidepressivos da classe dos inibidores seletivos de recaptação de serotonina ou antidepressivos tricíclicos.

Importante destacar que, a educação e informação sobre a doença para o paciente e sua família é de extrema importância, pois com a conscientização o processo de cura se torna mais eficaz e fácil.

O blog oficial do Ministério da Saúde ainda diz que: “como em todos os problemas que envolvem a parte psicológica do ser humano, as atividades físicas são importantes para o sucesso do tratamento.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digita seu nome aqui