Diversas cidades no interior de São Paulo apresentam surto de dengue desde o começo do ano de 2019.

Na quarta-feira, dia 13/02, a prefeitura de Agudos, decretou situação de emergência em virtude do elevado de casos de dengue e o risco de epidemia.

A situação de emergência foi determinada por meio de um decreto, que estipulou que até o dia 5 de março os proprietários de terrenos devem fazer a limpeza de seus imóveis.

“Após essa data, o poder público vai se responsabilizar pela limpeza, mas irá multar os proprietários”, informou a prefeitura.

A multa é de R$ 1 por m2, mas dobra em caso de reincidência. Todo o material juntado nas casas será coletado até o dia 10 de março.

A cidade tem 37 mil habitantes e já registrou 370 casos da doença este ano. Na última epidemia da doença, em 2015, houve 900 casos na cidade.

Agudos não foi a única cidade do interior de São Paulo a decretar situação de emergência em razão dos casos de dengue, a medida também foi adotada pela prefeitura de Andradina, Bauru e São Joaquim da Barra, todas com número de casos de dengue elevado.

A negativa de entrada dos agentes de saúde na residência, pode constituir crime

Ministério Público Estadual instaurou inquérito contra 34 moradores de Palestina, por terem negado a entrada de agentes de saúde em seus imóveis durante ações para eliminar criadouros do mosquito da dengue.

Segundo o promotor Gustavo Miyazaki, a pessoa que mantém criadouros do Aedes aegypti está expondo ao risco a vida ou a saúde de outras pessoas, o que configura crime, com pena prevista de três meses a um ano de prisão (art. 132 do Código Penal). 

Morte de Ex-prefeito de Guaraçai

O ex-prefeito de Guaraçaí, Habbib Asseis, morreu com suspeita de dengue hemorrágica. Habbib Asseis tinha 86 anos e estava internado desde o final de janeiro com dengue hemorrágica. A Secretaria de Saúde do município informou que aguarda a confirmação do grupo de Vigilância Epidemiológica de Araçatuba  sobre a causa morte.

Entretanto, no atestado de óbito consta que o ex-prefeito morreu por dengue. O município já registrou 138 casos positivos de dengue somente este ano.

Os números são assustadores

O número de casos de dengue confirmados somente nas últimas duas semanas foi maior que o dobro em relação a todo mês de janeiro.

Um Boletim divulgado pela Secretaria da Saúde confirma 12.834 casos autóctones, em que os pacientes se contaminaram no próprio Estado. A título comparativo, no dia 31 de janeiro, o Estado somava 4.595 casos confirmados.

O municio de Bauru é o primeiro colocado no ranking da dengue, com 875 novos casos confirmados, a cidade totaliza 2.423 casos autóctones. Em segundo lugar, está a cidade de Andradina com 2.083 casos, segundo a prefeitura.

A cidade de Franca, com 2.016 casos, aparece em terceiro lugar, seguida por São José do Rio Preto, com 1.252, conforme os números mais atuais.

Ainda, estão sendo investigadas pelo menos 12 mortes suspeitas de terem sido causadas pelo vírus da dengue no Estado.

O que é a dengue?

A dengue é uma doença infecciosa causada por um vírus transmitido pelo mosquito Aedes aegypti.

O vírus pertence ao grupo dos arbovírus, que são passados por picadas de insetos, principalmente mosquitos. Existem quatro tipos de vírus da dengue.

 “Após a infecção, o corpo fica permanentemente imune contra o sorotipo que o atacou”, explica a infectologista Melissa Barreto Falcão, da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI).

Como a dengue é transmitida e como evitar?

O vírus é transmitido através da uma fêmea do mosquito Aedes aegypti que, quando pica alguém infectado com o vírus, parra a transmiti-lo para outras pessoas.

Durante o verão, são feitas diversas campanhas voltadas a evitar acúmulo do líquido em recipientes como vasos de plantas, garrafas e pneus, isso ocorre porque para se reproduzir, o mosquito precisa de água parada.

Quais são os principais sintomas?

A dengue provoca uma inflamação nos vasos sanguíneos. Em decorrência disso, apresenta os seguintes sintomas:

  • Febre acima de 38,5˚ C
  • Dor de cabeça, nas articulações e muscular intensas
  • Dor ao movimentar os olhos
  • Mal-estar
  • Falta de apetite
  • Enjoo e vômitos
  • Manchas vermelhas no corpo

Em sua forma mais grave, conhecida por dengue hemorrágica, os sintomas podem incluir dor intensa na barriga, vômitos persistentes, acúmulo de líquidos nas cavidades do corpo (abdômen, coração e pulmão), sangramentos, pressão baixa e aumento do fígado.

Vacina

Atualmente existe apenas uma vacina contra dengue registrada na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que está disponível somente na rede privada.

A vacina somente tem a possibilidade de imunizar pessoas que já tiveram dengue ao menos uma vez e são necessárias três doses no intervalo de um ano.

“A vacina não está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS), mas o Ministério da Saúde está acompanhando os estudos de outras vacinas”, informa a infectologista Melissa Barreto Falcão.