Suicídio: Isso não é brincadeira

49

Iniciamos o mês de setembro, mês este, extremamente conhecido devido as diversas campanhas de conscientização sobre prevenção de suicídio que se espalham pelo mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulga resultados preocupantes, cerca de 800 mil pessoas morrem por suicídio no mundo, anualmente.

O suicídio se combate quando deixamos de lado o tabu e falamos sobre o problema, conversar sem julgamento e acolher quem está em sofrimento pode salvar vidas.

A prevenção do suicídio

Quando falamos de prevenção do suicídio, falamos em identificar sinais, ou seja, encontrar os sinais de alerta que a possível pessoa demonstra, e principalmente dar a devida atenção à essa situação, e a pessoa que está sofrendo. O suicídio, hoje, é uma das causas de mortes mais importante no mundo, e não deve ser lembrado só no mês de setembro, SETEMBRO AMARELO, mas deve ser abordado durante o ano todo.

O profissional da prevenção do suicídio

Existe alguns profissionais da área da saúde que ajudam nesse processo de prevenção do suicídio, quais sejam: o profissional da saúde mental, qual deve ser o primeiro a ser acionado nestas situações; o psiquiatra e o psicólogo; muitas vezes o assistente social tem uma participação importante nestas ações de prevenção.

Por outro lado, outros profissionais também exercem funções fundamentais, as urgências e emergências dos grandes hospitais também são muito importantes. Todos estes profissionais devem estar atentos porque são os primeiros a prestar socorro. Os socorristas – bombeiro, polícia, SAMU – também devem estar preparados para atender estas pessoas.

Quais os sinais de alerta para identificar alguém que esteja precisando de ajuda?

É importante especificar os grupos de risco. Os sinais de alerta para depressão, às vezes, podem ser confundidos com os sinais de suicídio. Para os jovens, no âmbito do que chamamos de ideação primária está o desleixo com o autocuidado; a pessoa não está interessada em se arrumar, cuidar da saúde, pode até chegar no extremo de falta de higiene e de apetite. O jovem que não quer participar de atividades em grupos, não quer ir para a escola ou para a faculdade; que fica muito tempo na internet, fechado em um quarto. A internet é algo com o qual deve-se tomar muito cuidado em relação aos jovens por causa de blogs e sites que incentivam as atitudes que queremos evitar. Mudanças de humor muito repentinas é um sinal de alerta que pode ser confundido com outas questões, mas é bom ficar de olho. Ficar muito eufórico ou muito triste de repente. Beber ou fumar mais do que já fazia, ou começar a fazer. O jovem começa a beber muito, começa a fumar cigarros ou usar outras drogas.

Saiba mais:  Clique aqui
Fonte: Ministério da Saúde

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digita seu nome aqui