Propostas para a área da saúde dos presidenciáveis: Marina Silva e Alvaro Dias

46

Marina Silva (REDE)

“No meu governo, vamos oferecer saúde de qualidade para todos e transformar o SUS num plano de saúde dos brasileiros. Tenho a felicidade de ter Eduardo Jorge como vice e ele coordena a área de saúde. Ele foi um dos idealizadores do SUS e a proposta é reestruturar o SUS criando 400 regionais atendendo, cada uma delas, 500 mil pessoas para poder ampliar a cobertura de saúde e oferecer serviço de qualidade na saúde pública com especialistas. Boa parte das pessoas não tem atendimento especializado. Nós vamos ampliar a cobertura de saúde com foco nos médicos de saúde da família, com equipes de saúde da família para que todos os brasileiros tenham saúde de qualidade, valorizando os profissionais, sendo bem remunerados, bem treinados, formando médicos generalistas para atender na ponta. Vivi as mazelas de não ser atendida corretamente e tenho este compromisso.”

Alvaro Dias (PODE)

Santas Casas: “Quando se fala em saúde pública, ou segurança pública, educação, enfim, infraestrutura, e o Banco Mundial realizou um estudo na saúde pública do nosso país e revelou que o que falta não é dinheiro. É planejamento, é gestão competente e honestidade. Há desvios em excesso. Essas instituições filantrópicas complementam uma atividade que deveria ser do governo. O SUS é um grande programa, mal executado, mal implementado, há planos de saúde que estão comprometidos pela ineficácia. E os dependentes desses planos de saúde acabam na Santa Casa de Misericórdia. E os planos de saúde não oferecem o ressarcimento. Nós tivemos uma isenção de impostos em 2016 de R$ 19 bilhões na área de saúde, no atendimento dos planos de saúde. Imaginem se nós pudéssemos aplicar esses R$ 19 bilhões no serviço de saúde pública do país. Ocorre que beneficiamos os planos de saúde. A Agência Nacional de Saúde não fiscaliza e o doente é obrigado a ir para um hospital público ou para uma Santa Casa de Misericórdia e o plano de saúde não oferece o ressarcimento correspondente. Portanto, nós beneficiamos de um lado e sofremos as consequências do outro. Quem paga é o contribuinte brasileiro.”

Veja todas as propostas dos presidenciáveis: Clique aqui

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digita seu nome aqui