O candidato, após o ataque em Juiz de fora, foi atendido pelo SUS. Entretanto, mais investimentos no Sistema Único de Saúde não está nos planos de Jair Bolsonaro.

Jair Bolsonaro (PSL) foi levado para a Santa Casa de Misericórdia da cidade, após esfaqueado na região do tórax durante campanha nas ruas de Juiz de Fora no último dia 6. Atendido prontamente, passou por exames e cirurgia pagos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo o site da revista Piauí, a equipe médica receberá R$ 367,06 (trezentos e sessenta e sete reais e seis centavos) pelo tratamento cirúrgico de lesões vasculares traumáticas do abdômen, conforme a tabela. E o hospital, R$ 1.090,80 (um mil e noventa reais e oitenta centavos) .

Plano de governo de Jair Bolsonaro

“Fazer muito mais com os atuais recursos” essa é a premissa do candidato do PSL. Contudo irá ampliar os serviços de atenção básica e coordenação das redes de atenção à saúde, recuperar financeiramente os hospitais filantrópicos e incentivar planos de carreira para recursos humanos. Tudo com os atuais recursos.

O argumento de Jair Bolsonaro é que o Sistema Único de Saúde    , acaba dando prioridade para o tratamento das doenças, e não para o tratamento dos pacientes. Segundo seu plano de governo, ele focará na maior eficiência dos gastos focados no setor.

“Essa mudança a favor de maior financiamento do SUS, ainda que retórica, é importante. A sensibilidade às prioridades da saúde parece ter se tornado mais intensa”, analisam os especialistas em saúde coletiva Mário Scheffer, Ligia Bahia e Ialê Falleiros Braga, no estudo “A saúde nos programas dos candidatos à Presidência da República do Brasil em 2018 – Análise sobre a relevâncias das proposições para a melhoria da rede de serviços e da saúde da população”.

Quer conferir mais declarações do candidato Jair Bolsonaro? Clique aqui.

Deseja conferir todas as propostas da área da saúde? Clique aqui.

Fonte: Clique aqui.